Boa tardeeeeee!!!!!

Lindas, hoje vim detalhar pra vocês minha história!

Sim, porque sempre comento sobre meu casamento nos posts ou faço até mesmo posts sobre ele… Mas nunca contei aos detalhes como tudo aconteceu!

Antes de tudo, eu preciso fazer uma…

Revelação bombástica!

Pois é… Preparem-se!

Eu sou casada desde 2005.

Siiiim, é verdade! Não casei em 2015!!

Como assim???

Ok, ok, deixa eu explicar o que se sucedeu!

Eu me casei há dez anos atrás somente no civil. Por falta de tempo ($$$), nós acabamos decidindo não fazer uma festa de casamento na época. Hoje em dia acho que foi bobagem, deveria ter feito um churrasco em casa e tava sucesso! Mas naquela época eu era uma menina boba e ingênua, que não sabia de nada desse assunto.

Mas eu sempre tive vontade de fazer uma festa de casamento! Então eu e o maridão combinamos que quando completássemos cinco anos de casados, a gente casava! Entendeu, né?

Bem, mas aí a vida vai passando, e a gente sempre acaba adiando os planos. E, novamente, a festa dos cinco anos de casados não rolou. E então, nós combinamos: quando completarmos dez anos de casados, a gente casa!

Só que, adivinha o que aconteceu?

Nós mudamos de país um ano antes de completar os dez anos de casados.

E aí veio o problema: como vamos organizar uma festa de casamento a distância? E que distância!!

Então conversamos e acabamos decidindo por adiar por mais cinco anos.

Mas aquilo ficou me incomodando, sabe? Já era a terceira vez que estávamos adiando nossos planos! E se não fosse a última? E se a gente fosse adiar até completarmos 50 anos de casados? E se, pior: a gente adiasse pra sempre?!

Ahhh, não não não!! Esse papo de adiar os planos de ter uma festa de casamento tinha que parar por aí! Afinal, sempre vai ter algo atrapalhando que você pode usar de desculpa pra adiar mais uma vez. Dessa vez, eu queria enfrentar o problema e fazer meu casamento acontecer!

Então conversei de novo com o amore mio e decidimos: dessa vez tem festa! Uhuuuullll!!! \o/  \o/  \o/

Mas como que vai ser isso?

Contamos pros nossos pais, comemoramos, sucesso! Mas, passada a euforia, a gente começou a refletir sobre o assunto.

– “Nossa, não vai ser estranho convidar as pessoas pro nosso casamento, sendo que a gente já tá há dez anos juntos e temos dois filhos?”

– “Ah, então vamos fazer uma festa de bodas!”

– “Poxa, mas bodas simboliza renovação de votos! Eu nunca tive uma cerimônia e nunca fiz meus votos oficialmente pra poder renová-los…!”

Estávamos nesse dilema, quando o meu filhote, na época com 8 anos, entrou na conversa e disse:

– “Ué, faz um Casabodas.”

Fala se não é um gênio esse menino! Puxou a mamãe!

E assim foi: convidamos as pessoas pro nosso “Casabodas”!! Foi assim que divulgamos e colocamos no site! Adoro coisas originais!

O planejamento

Já tínhamos um nome! Já tínhamos uma data! Já tínhamos vontade! Só faltava todo o resto!

Lógico que a primeira coisa foi avisar minha sogra e meu pai que eles teriam muito trabalho pelos próximos meses, já que a gente não mora no Brasil. Contar com a ajuda deles foi fundamental.

Ainda bem também que a internet existe. Foi assim que eu encontrei fornecedores, entrei em contato por e-mail e já deixei tudo pré-conversado.

No final do ano de 2014 (nosso casabodas seria em março de 2015), nós fomos ao Brasil. E tivemos uns dias bem agitados, pode acreditar! Olha só tudo que fizemos:

  • Fomos conhecer todos os fornecedores, fazer degustação, fechar os contratos;
  • Fui na 25 de março com a minha boadrasta para fazer comprinhas para decoração, lembrancinha, etc – Leia esse post pra ver o que comprei;
  • Ensaiamos incansavelmente as duas coreografias que iríamos dançar na festa. Eu fiquei com tanto calo no pé, vocês não tem ideia.
  • Depois de comprar tudo na 25 de março, fui pra MG na casa da minha sogra e fizemos juntas todos os DIY – Veja minha decoração aqui.
  • Inventamos, mandamos imprimir e distribuímos os convites.
  • Fui atrás do meu vestido e consegui encontrar um costureiro que fez o modelo que eu queria!

Lógico que pra fazer tudo isso nós precisamos de ajuda dos nossos pais e padrinhos, porque a gente não tem carro no Brasil!

O que eu fazia questão

Algumas coisas já estavam bem definidas na minha cabeça: eu queria um casamento simples e diferente!

Simples porque queria um estilo de decoração vintage, rústico e com muito DIY. Queria minha cerimônia ao ar livre. Tudo muito romântico! E lógico, poucos convidados, somente os que eu tinha certeza que estariam lá pra curtir aquele momento junto com a gente. Nada de convidar pessoas por educação.

E queria também inovar! Deixar meu casamento marcado na memória das pessoas tão queridas que tinham sido selecionadas a dedo!

E no final das contas, como ficou?

Isso você vai acompanhando no blog, certo?!?

Mas uma coisa é certa: apesar de nem tudo sair como o planejado e do maior corre corre, foi tudo lindo! A gente riu do que não deu certo e curtiu demaaaaaaaaaaaaaais tudo que a gente planejou com o maior carinho!

Vou contar a saga do que não deu certo em outro post! Acompanhe o blog pra poder rir bastante da minha saga! rsrs

Beijos, queridas!

<<< Voltar para a HOME

The following two tabs change content below.

Julita

Engenheira química, mãe e esposa dedicada, apaixonada por casamentos! Quer ajudar as noivas econômicas a realizarem seus sonhos sem sacrifícios, com muita criatividade e, de quebra, ainda se divertindo!