wedding-609105_1280Bom dia, noivinhas!!

A Luiza Domingues, psicóloga e noiva, encontrou nosso blog e se identificou!

Assim como nós, ela acredita que é legal realizar a celebração do nosso casamento, sim! Porém, nunca se esquecendo do real motivo da celebração!

E é exatamente isso que a gente tanto fala nesse blog, não é mesmo?? Realizar seu sonho de juntar as pessoas queridas e ter a sua festa de casamento, mas nunca se sacrificando financeiramente por isso, e muito menos dando maior valor à impressionar as pessoas com uma grande festa do que ao amor que vocês sentem um pelo outro e à felicidade de estarem oficialmente casados!

A Luiza escreveu um texto super lindinho, e resolveu compartilhar com a gente o seu pensamento! Dá uma lida:

“Durante uma conversa com uma amiga noiva, em meio a discussão sobre fornecedores, me percebo com o coração acelerado. Acelerado em pensar na emoção de entrar no salão e ver os olhos do meu companheiro? Acelerado por pensar que as pessoas que eu mais amo estarão reunidas para celebrar nosso amor? Acelerado por pensar na vida que começaremos em breve? Não. Acelerado por pensar no que as pessoas vão falar. 

Paro. Respiro. Há algo errado. 

Para quem entra no universo da festa de casamento logo percebe o mercado comercial que permeia a organização da festa. Preços exorbitantes, futilidades, exageros, concorrência gritante sobre quem será seu Buffet, qual será o salão da festa, o cabeleireiro, a marca do vestido e (pasmo eu) dos doces! Ahn? Doces? Forminha de doces? Tem que comprar? 

Em momento algum quero criticar as belas festas banhadas de elegância e capricho dos profissionais envolvidos, muitos desses que tentam colocar o coração em seus trabalhos. Só compartilho algo que senti na última semana. 

Afinal, o que estamos celebrando? 

O momento do casamento é muito profundo. É quando oficializamos nossa escolha em compartilhar a vida, em toda sua complexidade, com outra pessoa que também irá compartilhar a dela conosco. 

A conexão entre os dois é muito mais do que as fotos que serão tiradas. O que essas fotos não podem captar? O que só se capta com o coração aberto e a ressonância com o casal? 

Penso que temos todos um caminho para percorrer ao longo da vida, e podemos viver da forma que escolhermos. Assim, escolhemos também a pessoa que gostaríamos de compartilhar nossa existência pelos anos que ainda nos serão dados. A forma com que iremos deixar nossa pequena marca neste planeta. A pessoa que te acompanha nesta jornada é muito importante. Ser a pessoa que acompanha a jornada do outro, é muito especial. Vivenciar a experiência de intimidade cotidiana, compartilhar sonhos, emoções, idéias, planos, filhos, contas, trabalho, dificuldades é algo que vivenciaremos com pouquíssimas pessoas ao longo de nossa existência. 

Estamos então diante de um momento a ser celebrado: a escolha da nossa companhia, na companhia daqueles que compartilham da alegria do casal. 

Boa comida, bebida, boa música etc alegrarão o ambiente e potencializarão toda a alegria do momento, mas sem conexão com as emoções, uma festa é só uma festa. 

Durante a organização do meu casamento tentei fugir da pressão social e das futilidades excessivas. Claro, acabei em alguns momentos caindo no “isso não pode faltar”. OK, tudo certo… 

Mas o que com certeza não pode faltar:  União. Amor. Família. Parceria. 

Não, não temos fornecedores no mercado para isso.

Luiza Domingues – Psicóloga

Luiza, arrasou!! Muitíssimo obrigada pela sua colaboração!

Desejo toda a felicidade do mundo pro casal! E, no que pudermos ajudar, estaremos aqui!!

The following two tabs change content below.

Julita

Engenheira química, mãe e esposa dedicada, apaixonada por casamentos! Quer ajudar as noivas econômicas a realizarem seus sonhos sem sacrifícios, com muita criatividade e, de quebra, ainda se divertindo!